Archive | February, 2014

Santo Amaro à chuva

28 Feb

Amaro

eletrico

SA

Dias de chuva para os lados da Estação de Santo Amaro. Descoberta não acidental, entre pequenas gotas de água. O outro lado da cidade. A antiga. Com jeitos de aldeia, nos pequenos detalhes. De repente, tudo desacelera um pouco. Tudo abranda.

Equilíbrio

27 Feb

Equilibrio

Hoje estou assim, a tentar equilibrar-me… em cada respiração.

Começar bem o dia

26 Feb

breakfast

Sem tempo para ir ao ginásio pelo segundo dia. O meu corpo começa a ‘refilar’. E já estive mais longe de ficar de mau humor. Por isso, hoje decidi roubar vinte minutos à minha agenda preenchida, de momento (isto significa que acordei pela ‘fresquinha’) e fazer uns exercícios de força e uns alongamentos. Aqui em casa. Também reforcei na dose de proteína ao pequeno-almoço: depois do fiambre de peru e de umas folhas de espinafres, maravilhei-me com esta taça de iogurte de soja com frutos do bosque, avelãs, nozes, passas e umas sementinhas de chia. As duas coisas fizeram a minha manhã. Pronta para sair.

Dias a crescer (parte II)

25 Feb

a noite e a luz

O alento dos dias que crescem. O momento de luz antes do anoitecer, sob o céu azul. A ausência da chuva. Foi assim hoje, no regresso a casa. A beleza deste minuto. A felicidade de estar aqui.

A estação e a praça

25 Feb

C.Sodré

Cais do Sodré I

Cais do Sodré, ao fim da manhã. Depois da chuva. Princípio da semana. Há seis dias que passo por aqui…e tudo continua a ser tão estranho! Só mais à frente, a caminho de Belém, a vista sobre o Tejo me dá algum ânimo. Tenho de confessar que gosto mesmo é da cidade nova, ‘descaraterizada’ – sem por em causa a beleza destes lugares. Onde gosto de passear, às vezes. Só às vezes.

Ter tempo!

24 Feb

Time

De facto, é um luxo! Ter tempo para as coisas que nos dão prazer (onde se inclui ‘alimentar’ este blog e ir ao ginásio). Para não pensar em nada e desenvolver a criatividade. Para a família (que no meu caso está longe, mas ao alcance de um telefonema a qualquer hora). Para os amigos (que estão perto, aqui na cidade). Para ler (e tenho tantos livros à minha espera!, espalhados pelas duas divisões da casa, alguns já empilhados no chão). Para ir a uma exposição da Gulbenkian (já sabem que eu tenho uma relação de amor com a fundação). Ir ao cinema (na quarta-feira passada consegui ir ver o filme Her e recomendo), e já nem falo em ir ao teatro ou a um bailado, porque para isso nem sempre tenho dinheiro (tê-lo também é um luxo).

É um luxo ter tempo. Na última semana não tive este luxo para todas as coisas que me dão prazer, inclusivamente ler mais umas páginas de Alice’s Adventures in Wonderland, de Lewis Carroll, e a Desumanização de Walter Hugo Mãe – os dois livros do momento. Esta semana receio que não vá ser melhor. Mas como diz a minha amiga Maria, não podemos ter tudo! Em cada momento da nossa vida temos que fazer escolhas, estabelecer prioridades. O que significa deixar para segundo plano algumas outras coisas que gostamos. E nos dão prazer. Não ficam esquecidas, mas apenas à espera de uma oportunidade de voltarem a ser o centro da nossa atenção (e criatividade, por vezes). Já fiz isso algumas vezes. Estou a fazê-lo mais uma vez, de momento. Numa corrida contra o tempo, espero, no entanto, passar por aqui com regularidade.

Doces fins de semana

23 Feb

tea and cake

Está a entranhar-se nos meus hábitos! Fazer um bolo (e compota, às vezes) para os lanches de sábado e domingo tornou-se o mais recente ritual aqui em casa. Muito pelo prazer de ficar à noite na cozinha à volta de receitas antigas. Mas também porque dá o mote para convidar os amigos para um chá e dois dedos de conversa. Por isso, e apesar de ter tido uma semana extenuante, de adaptação a novos horários, fiz mais um delicioso bolo, desta vez de limão, e um doce de morango com laranja. A receita do bolo estava no caderninho que trouxe de casa de família e conheço-a desde sempre (de qualquer forma, fiz umas pequenas alterações). O doce de morango é meu e, este fim de semana, tem um suave sabor a laranja. Para o conseguir, juntei raspa do fruto (1 laranja para 500gr de morangos) ao doce, 10 minutos antes de o retirar do lume.

tea cake and limon

Bolo de limão

• 250 gr de açúcar • 250 gr de manteiga • 5 Ovos médios  • 250 gr de farinha peneirada • Raspa de 2 limões

Misturo o açúcar com manteiga e depois as gemas de ovo (a receita é com os ovos inteiros). Envolvo o preparado com a raspa dos 2 limões (usei um limão e uma lima para conseguir um pouco mais de acidez) e alternadamente a farinha e as claras batidas em castelo. Levei ao forno a 180º durante 40 minutos em forma forrada com papel vegetal.

doce de morango

Eu gosto do bolo em fatias finas barradas com doce de limão. Ou doce de morango simples.

Sábado, antes e depois

22 Feb

Pa

batido pt

Tive muita vontade de ficar na cama. Não ir ao ginásio. Hoje, sábado, fim de semana. Fim de uma semana atípica, como não tinha há muito tempo! Andar de um lado para outro, de uma ponta para a outra da cidade, com chuva…O cansaço provocado por este rodopio, a ansiedade pelo facto de ter saído da minha zona de conforto. Mas como posso faltar ao ginásio, ao meu treino? Às aulas de Pilates, de cyclinking ou localizada? Como ‘abrir mão’ do que mais gosto de fazer? Como abrir mão do que me faz sentir feliz? Do que me desafia e eu supero com tanto orgulho? Como posso deixar o meu corpo sem alongamentos? Não posso! Por isso fui. Antes e depois, cumprindo os rituais do costume. Comi para treinar e depois para recuperar do treino. Assim:

Antes do treino:

Iogurte natural de soja Morangos Avelãs Sementes de chia Flocos de aveia integral

Depois do treino:

Bebida de soja natural 1 Mão-cheia de espinafres 3 Morangos  • 1 Colher de sopa levedura de cerveja1, 5 Colher de sopa de sementes (chia, sésamo, linhaça dourada)3 Nozes

Saudades da primavera

21 Feb

MT Jardins MTraje Jardim

Jardim MT

Saudades da primavera. Da luz, dos dias mornos. E destes recantos do Museu do Traje – aqui tão perto! E da sua vegetação exuberante. Dos seus canteiros de flores, dos lagos e da quietude. A bênção do silêncio deste lugar. Saudades da primavera. E das suas atmosferas perfumadas.

Voltei à sala de cinema

20 Feb

Her

Quando há semanas li a crítica no Guardian, prometi ir ver Her (em português, Uma História de Amor) logo que chegasse às salas de cinema. Aliás, cheguei a programar vê-lo durante a Semana Óscares Metroplis já que constava da lista de pré-estreias, (na altura vi Um Quente Agosto, de que vos falei aqui), mas à última hora não concretizei o meu plano. Finalmente, ontem fui ver o novo filme de Spike Jonze, que mais uma vez nos traz o tema da solidão contemporânea (já o havia feito em os Inadaptados, de 2002, por exemplo).

Em Los Angeles num futuro próximo um escritor de cartas solitário (papel interpretado pelo ator por Joaquim Phoenix) apaixona-se pela voz do seu novo sistema operativo (a voz de Scarlett Johansson). Mas Theodore Twombly não está sozinho. Outros homens e outras mulheres estão nesse preciso momento a passar por relações idênticas. O que se passa com a humanidade? Terá ela perdido a capacidade de lidar com emoções reais? Cómico ou depressivo? Cabe a cada um decidir. Dá que pensar! Vale a pena ver! Eu adorei!

%d bloggers like this: