Lisboa à chuva

18 Feb

E quando eu pensava que a chuva e o frio tinham abrandado (não tive tempo para ver a previsão meteorológica no site) voltou tudo ao mesmo. Aguaceiros, humidade e vento. E eu na rua, desesperada, a abrir e fechar o guarda-chuva, a ajeitar a gabardina, a evitar as poças de água quando atravesso a pé. A praguejar. A querer chegar ao meu destino e perceber que já estou atrasada porque o trânsito reage à chuva e fica tudo parado. Carros e gente, entre estradas e passeios. E lá se vai a possibilidade de olhar a paisagem e descobrir novas particularidades. Numa rua que já se conhece, na fachada de um prédio… Lá se vai a possibilidade de relaxar, organizar o pensamento. A última vez que consegui fazer ambas as coisas ontem quando atravessava a cidade, foi aqui, no Saldanha. Por entre a chuva, uma grua obrigou-me a olhá-la. Só depois olhei para João Oliveira e Daun, o Duque [de Saldanha]. Felizmente, hoje há sol! Será para ficar, pelo menos hoje?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: