Archive | April, 2014

Começar bem o dia

29 Apr

Pequeno-almoço (morangos)

Pequeno-almoço (nozes)

Pequeno-almoço (amendoas)

Gosto de mimar-me mal saio da cama. De manhã cedinho ou mais tarde. Tenha tempo, ou esteja à pressa porque acordei uns minutos para além da hora. Preciso cuidar-me, envolvendo-me e entregando-me a certos rituais como o do duche e do pequeno-almoço, por exemplo. Dois momentos essenciais do meu dia transformaram-se em dois pilares vitais que determinam o meu humor, a minha atenção e o meu alento ao longo dele. Se o dia começa mal nestes planos, ai, ai!!! Por isso, a ‘receita’ é estar totalmente concentrada e preenchida por eles, cultivando assim um dos princípios da Mindfulness (uma prática corpo-mente baseada em técnicas de meditação, entre outras coisas). Uma das nove qualidades da Mindfulness é precisamente ‘o estar-se focado’ em cada momento presente’, tirando o máximo partido das atividades em que nos envolvemos. O desafio, sim porque há um desafio, é concentrarmo-nos no presente, vivendo o que temos, sem nos agarramos ao passado e estar preocupada relativamente ao futuro.

Neste sentido, a forma como eu vivo as minhas manhãs no duche e à volta do pequeno-almoço é igualmente terapêutica. No primeiro, a ideia é permitir-me sentir o efeito libertador da água sobre a pele e dos aromas relaxantes do sabão ou dos  óleos de banho. No segundo  é saborear os ingredientes devagar, tirando o máximo partido das suas texturas e aromas. Esta é a minha prática diária, nos últimos anos. E para tornar estes momentos ainda mais especiais, em matéria de alimentos cuido esteticamente dos pratos em função das cores e das texturas. Hoje, por exemplo, preparei esta bonita malga de cereais que me ajudou a praticar a primeira qualidade de mindfulness,ainda com mais determinação e entrega.  Para além de ser um pequeno-almoço rico em proteína e antioxidantes. Tem flocos de aveia integral, goji, sementes de chia, morangos frescos, canela, amêndoas e nozes com essência de funcho)

Passear pelo Saldanha

28 Apr

Saldanha

É sempre bom voltar ao Saldanha! Com sol ou sem ele. Mas, claro, é muito melhor quando ele brilha. Gosto desta zona da cidade, da mesma forma que gosto da minha (e muito particularmente da minha rua, dos planos que as minhas janelas me permitem). Gosto do Saldanha, de passear por ali. De entrar nas suas lojas – infelizmente têm vindo a fechar muitas, no último ano. De perder-me ao sol nas suas esplanadas. Mas também quando há frio, bem envolvida em casaquinhos quentes e luvas ‘sem dedos’. Afeiçoei-me ao Saldanha, depois de ter trabalhado dez anos na Av. João Crisóstomo (como o tempo passa!) o que me permitiu descobrir todos os seus recantos e a magia da sua luz a dançar na brancura dos prédios e nos jardins. Gosto do Saldanha até à Gulbenkian. De voltar lá. De voltar sempre. E redescobri-los! Volto lá sempre que posso. Voltei lá há poucos dias!

História com conteúdo

27 Apr

O atentado

cinema

Fui ver “O Atentado” , um filme  realizado pelo libanês  Ziad Doueiri que tem como cenário o conflito israelo-palestiniano (um dos que tinham sido recetemente exibidos em Lisboa, na II Mostra de Cinema e Cultura Judaica). Muito boa esta  adaptação do bestseller de Yasmina Khadra que nos traz a história de um cirurgião israelo-palestiniano premiado e integrado na sociedade de Telavive, cuja mulher detona uma bomba num ataque suicida causando a morte de várias pessoas e o ferimento de outras tantas (que o próprio  cirurgião assiste no hospital). Totalmente alheio do envolvimento de Sihem, Jaafari primeiro não acredita nessa possibilidade. A confirmação chega-lhe numa carta que ela própria lhe deixara escrita. Incrédulo e devastado,  Jaafari regressa aos territórios palestinianos ocupados à procura de respostas. Merece ser visto este filme  que nos faz pensar – deixando-nos também a sensação de que o fim do conflito ainda está longe. E questionar – questionar sobre se, relamente há solução para tanto ódio, em igual proporção de um e de outro lado.

 

Pensar. Reutilizar. Poupar

25 Apr

reutilizar

3 Rs

Tanta coisa para fazer. E não me apetece fazer nada! Seria normal ter ido manhã cedinho para o Largo do Carmo e depois para a Av. da Liberdade para as comemorações do 40.º aniversário do 25 de Abril – até para fotografar. Mas, mais uma vez acabei por ficar em casa. De televisão ligada, para saber o que lá se passa. Também dei uma passagem rápida pelo facebook (Mas ultimamente não tenho paciência para o que lá se diz e para os disparates que eu por lá digo por vezes) É, talvez tenham razão, hoje estou com ‘mau feitio’. E, a confirmá-lo, até fiz bem em manter-me antissocial. (Mas deixem-me desabafar aqui com vocês, com a promessa que amanhã tudo volta ao normal!).

E, entretanto, vou dando voltas às gavetas. Para desanuviar. (Ou, quem sabe, numa tentativa de dar volta à vida). E anotando mais um item na lista de tarefas para a próxima semana, no bloco de notas do laptop. Porque tem mesmo de ser. (Muitas obrigações exigem o melhor de mim nos últimos dia de abril e primeiros de maio. E isso, confesso, faz-se sentir borboletas no estomago. Já!) E desenhando o ‘programa de festas ‘ para amanhã, o mais importante do momento. O meu programa de festas, cheiinho de coisas que eu realmente gosto de fazer. Que me enriquecem e preenchem. E isso, sim, dá-me um novo alento!

E nesta azáfama de dar volta às gavetas, reato o sentido da reutilização. E a urgência de aprender a poupar. Não sei bem se antes ou depois de um saco ‘esquecido’ durante cerca de quatro anos ter-se revelado um tesouro. Um vestido abandonado pode voltar a brilhar. Mais duas camisas pouco usadas e três jeans que nunca o foram. Gosto do resultado. As medidas estão perfeitas. Enquanto olho as peças na corda a secar e faço a fotografia, penso no lado bom de todas as coisas. E estou convencida que é isso que também nos mantém a coragem. Pelo menos que mantém a minha!

O regresso à rotina

22 Apr

muesli+maça

Já sentia falta destas malgas de muesli com iogurte natural de soja (ou leite), fruta fresca e frutos secos! Os dias têm outra cor quando começam assim, cheiinhos de proteínas e antioxidantes. Com misturas de sabores frescos e sementes, de texturas crocantes. Também vou voltar às saladas (confesso, com os olhos postos no bom tempo, na transparência das roupas de verão, na praia!). Também não vejo a hora de ousar fazer um daqueles batidos que nos preparam para o treino, ou ajudam à formação de músculo depois dele. De espinafres ou limão, agriões e frutos do bosque. Talvez comece já amanhã. Hoje comecei assim, com esta mistura de iogurte e muesli, uma colher de levedura de cerveja, framboesas e maçã. Tudo polvilhado com sementes de chia e sementes de sésamo.

Cinema de madrugada

21 Apr

Lost in Translation

Estava mesmo a precisar de um fim de semana assim: com mais um dia de bónus. Bendita Páscoa! Para pôr a vida em dia. As gavetas e a papelada. Ler. Ouvir música. Ver filmes. Preguiçar. Não fazer nada. Fazer uma nova lista de objetivos. Atualizar a lista de gratidão. Consegui fazer quase tudo. Consegui fazer o essencial. Para o próximo fim de semana, com mais um dia de bónus para celebrarmos a liberdade, vou acrescentar as minhas listas, ler mais umas páginas dos dois livros que estou a ler, e quem sabe ver mais um filme?! Esta madrugada vi Lost in Translation, uma narrativa entre a comédia e o drama realizada por Sofia Coppola. E simplesmente adorei este regresso ao Japão. E à história de uma jovem e um homem de meia-idade, ambos norte-americanos e insatisfeitos com as suas vidas, que se cruzam em Tóquio. Charlotte e Bob tornam-se cúmplice, amigos, à medida que vão explorando a gigantesca cidade japonesa, com uma cultura muito própria. Mas será apenas amizade o que os une? O filme deixa na ambiguidade o sentimento que realmente liga os dois personagens. Adoro rever filmes anos depois!

Chocolate puro!

20 Apr

Corallo 1 Corallodark chocolat

[Ainda redescobrindo Lisboa]. Conheci o novo espaço da Corallo no Príncipe Real, onde o chocolate puro e o café são as estrelas. Eu não resisto ao primeiro, vindo diretamente de São Tomé e Príncipe. Desta vez escolhi este pequeno retângulo de chocolate preto com gengibre. [Eu e o gengibre! Não conseguimos largar-nos!] Esta tarde vou entregar-me a este prazer, de saborear minúsculas porções. Sem pressas. Para derreter na boca. Devagar. Mordiscando aqui e ali o gengibre. Quase ao mesmo ritmo!

Just breathe

19 Apr

Easter

Sábado perfeito, a caminhar ao encontro de domingo de Páscoa. Levantar cedo. Respirar a manhã quase fria. Ainda sem sol. Duas horas de exercício físico. A fazer que almoço comendo iogurte, fatias de fiambre de peru e tangerinas. Enrosco-me no sofá com um livro… e adormeço. Acordo com a sensação de dever por cumprir. Ao entardecer tenho os deveres todos cumpridos. Cumpro um atrás do outro, entre amoras. Janto tarde, acabo de jantar: dois ovos cozidos e uma salada simples, salteada com tâmaras, temperada com um fio de azeite. Com o olho nas guloseimas da Páscoa, confesso: as amêndoas com chocolate da Regina, os Confeitos de Pinhão, da Frutop e as drageias de Licor, da Arcádia. Tempo de pecado, num tempo sagrado, penso. ‘Just breathe’, repito ao meu ouvido. Enquanto decido que filme vou ver esta noite. Tenham uma Páscoa feliz

Do Rato ao Chiado

18 Apr

grade

grade 1

Condes

Condes 1

S.Jorge

S.Jorge 1

É um dos programas que mais gosto de fazer e há muito que não fazia: caminhar com tempo entre o Rato e o Chiado, assim neste sentido. E parar para admirar tudo o que chamar a minha atenção. Por ser belo ou ser diferente, ser uma novidade. Mas ontem, nem sequer estava nos meus planos ir por ali. Foi a Sofia (uma amiga) que me desafiou a fazer o percurso, neste fim de tarde magnífico, ainda cheio de sol e de calor. De facto, sob estas condições, numa véspera de feriado, quem lhe apetecia ir para casa? Lisboa estava linda sob a luz do entardecer!

Assim não!

16 Apr

agua

Que chatice estar doente! E de dieta há cinco dias! Gosto imenso de caldinhos e chá, mas não estes que sou agora obrigada a tomar de forma constante. ‘Raios partam’! Tenho saudades da minha comida saudável, feita de grãos e hortaliça. Do meu trigo sarraceno, dos meus pratos de chia com legumes, quentes e frios, das minhas saladas com romã ou abacate, da fruta e dos meus frutos secos – nas últimas semanas andava perdida por amêndoas torradas! E tenho saudades dos meus treinos – quero retomar a minha atividade física com urgência. Mas a verdade, a verdade mesmo é que ainda não estou em forma para reatar os prazeres da mesa e do ginásio. A verdade é que ainda ando um pouco a ‘arrastar-me’! O meu corpo é muito claro a esse respeito. Por isso, vou ter mesmo de abrandar, ter paciência e dar-lhe tempo. O bom disto tudo é que tenho conseguido ler muito mais. Passo mais tempo com os meus livros!

%d bloggers like this: