Archive | January, 2015

Hoje não resisti!

30 Jan

torradas

Este frio desespera-me! Esta chuva põe-me de mal humor! E, então, não há volta a dar…Vingo-me na comida! Preciso de coisinhas quentinhas, capazes de me aquecer de dentro para fora, alimentos que me confortem e deem prazer. Continue reading

Advertisements

Mais um dia de treino

29 Jan

no ginásio

Finalmente, tudo começa a voltar à normalidade. Quase a terminar a segunda semana de ginásio, no regresso de uma longa paragem, estou a sentir-me cada dia mais forte. Ainda não estou a trabalhar a cem por cento, com os pesos do costume – os professores não me deixam, não é Francisco Baptista e Sofia Gomes Machado? – mas estou  cada dia mais próximo do meu nível. Continue reading

Bom dia!

29 Jan

Papas de aveia

Acordei cheia de fome e ainda com os músculos a refilar da aula de cycling de ontem. Por isso, achei melhor ‘injetar’ um pouco de energia com este pequeno-almoço completo de papas de aveia (flocos de aveia cozidos com sementes de goji) polvilhadas com canela e sementes de chia, nozes, cajus, abacate, mirtilos, amoras, framboesas.

Acabei o dia aqui

27 Jan

Nipon SpaEste ano ainda não tinha feito uma visita ao Nipon Spa. Terminei 2014 e comecei 2015 com sessões de fisioterapia, longe do ginásio, ‘perseguida’ por uma gripe horrível. Aconteceu-me quase tudo, e eu interpretei os sucessivos episódios de mal-estar físico como uma forma do meu corpo – que é inteligente – se purificar e regenerar. Agora, nas últimas semanas de janeiro, começo finalmente a voltar às minhas rotinas, cumprido obrigações que vou colocando a mim própria. E, tanto quanto possível, atendendo a alguns dos meus desejos, concretizando alguns dos meus prazeres. Hoje, consegui concretizar um, voltando ao ‘meu’ Nipon Spa, desta vez para um delicioso tratamento de rosto. Normalmente, trato do corpo – e as massagens japonesas orientadas pelas sábias mãos da Carla e da Susana fazem maravilhas. Hoje mudei de zona a tratar, e foi a vez de a Indira cuidar do meu rosto. A experiência continua a ser de exceção!

Em forma para a primavera

26 Jan

batido

batido de agrião

Princípio da semana, segunda-feira de sol. Hoje comecei o dia assim, com um excelente batido verde como pequeno-almoço, que me prepara para o treino – depois da habitual chávena de água morna com limão [100 ml de bebida de aveia, 2 c. de sopa de gérmen de trigo, 1 c de sementes variadas, 1 maça e um molho de espinafres. Trituro tudo muito bem no liquidificador, até alcançar uma textura homogénea]. Muito rica em hidratos de carbono, esta mistura verde permite um rápido aporte de energia e a sua manutenção ao longo do treino.

Há muitas formas de celebrar o sol

25 Jan

iogurte +muesli+ fruta

Há muitas formas de celebrar este sol, enorme, amarelo. A quase primavera que este dia luminoso de fim de janeiro nos traz. Para mim, passou por oferecer-me este lanche às três das tardes, sem ter almoçado: uma mistura de iogurte natural de soja, muesli, sementes de goji e chia, e um kiwi, cuja frescura e perfume antecipam a estação que se segue.

Adoçar o fim de semana

23 Jan

doce de abobora

Normalmente preparo à sexta-feira à noite para celebrar no fim de semana. Pode ser um bolo, uns biscoitos, uma geleia, um pudim. Faço sempre doses pequenas, a não ser que receba amigos em casa para o jantar ou o lanche. Esta semana antecipei-me e preparei uma guloseima ontem à noite, quinta-feira de chuva e frio. Desta vez, o eleito foi um doce de abóbora com clementina para acompanhar uma boa fatia de requeijão e uma grande caneca de chá verde [Usei 500 g de abóbora ralada, 250 g de açúcar amarelo, sumo e raspa de 2 clementinas sumarentas e um pau de canela]

Últimas leituras

22 Jan

Um Circo que Passa

Acabo de ler a primeira obra de Patrick Modiano. Desde que o francês venceu o Prémio Nobel de Literatura 2014 que andava curiosa relativamente ao autor que, admito, nunca tinha ouvido falar até ser-lhe dado este galardão. Posteriormente li alguns artigos e crónicas sobre ele e a sua obra, no âmbito do prémio da Academia Sueca, e soube que afinal é mesmo assim: Modiano é muito conhecido no seu país, mas nos outros nem por isso. Na Bertrand – que é onde eu gosto de comprar os meus livros, porque tem sempre uma grande diversidade de obras e por que o atendimento é de exceção – encontrei três pequenas obras do autor. Depois de as folhear e ler uma ou outra passagem, optei por Um Circo que Passa (D.Quixote). Gostei. Gostei muito da escrita de Modiano, é apurada. E do suspense que ele consegue manter, pelo menos nesta história, mantendo-nos completamente dentro dela, com desejo de conhecer o desfecho e ao mesmo tempo mantê-lo, por mais um pouco. Adoro as suas personagens solitárias, frágeis, sublimes. E da atmosfera nostálgica de uma Paris dos anos 60. A última página de Um Circo que Passa (o final) é inesperada. [Esteve menos bem a revisão do livro, um pouco descuidada]

Mais atenta ao que como

20 Jan

granola

Segundo dia de disciplina. De manhã estava no ginásio para um aquecimento de 20 minutos em máquinas e a seguir uma aula de Pilates – a minha atividade preferida. Foi tão bom! Acho que estou a voltar à minha rotina, finalmente. Também estou mais atenta com o que como, novamente. Não porque precise emagrecer, eu sou magra, mas porque devo comer tendo atenção os meus treinos. Hoje optei por uma taça de granola (20 g), depois bebi um chá preto bem quentinho, preparando-me assim para enfrentar o frio e a chuva. Há muito tempo que não comia esta mistura de frutos secos, grãos e sementes que diz-se trazer benefícios ao nível das doenças intestinais e algumas cancerígenas. Também ajuda a prevenir o envelhecimento precoce. Apesar de possuir um importante valor calórico (eu optei por uma granola que tem menos açúcar e é biológica), alguma fontes asseguram que pode ajudar a perder peso.

De regresso ao ginásio

19 Jan

peso morto no core

core peso morto

Finalmente! Depois de uma longa paragem – de um mês, precisamente – pois achei melhor interromper a atividade física durante o tempo que estive a fazer fisioterapia, estou de regresso ao ginásio. Tenho de confessar que esta manhã estive hesitante, não me apetecia… depois, o vento lá fora não ajudava a contrariar esta vontade de inércia. Tive de acordar o cérebro, contrariar a preguiça, impor-me. Pôr ordem no meu quartel. Mas a verdade é que eu faço isso muito bem, sou implacável comigo quando tem de ser. Passou-se tudo muito rápido, enquanto tomava o pequeno-almoço de espinafres e nozes, uma caneca de café. E minuto depois atravessava a rotunda sob cinco graus de temperatura. Foi muito bom voltar, e, sobretudo, perceber que estou muito mais em forma do que pensava. Apesar de ter ‘doído’ mais do que costuma doer! Acho que estou pronta para reatar a minha rotina.

%d bloggers like this: