A noite( e as lembranças)

25 Apr

a noite

Gosto da noite quando estou aninhada em casa. Enroscada no sofá a ver um filme, mantinhas de lã ou panos de linho sobre os joelhos.Com a luz intimista de velas espalhadas pela casa. Beberico chá de gengibre. Às vezes um copo de vinho tinto.

Caminho pela noite neste registo hoje, celebrando a liberdade. Parece-me tão distante esse dia de passagem para um mundo absolutamente novo, deliciosamente livre. Lembro-me de estar perdida no que ele significava ao princípio. Era tão novinha, tão menina! Então, o Tono guiou-me pela madrugada, jeitos de professor que era – fiz os primeiros projetos de jornalismo com ele, mas tornei-me jornalista já depois da sua morte –, e com o carinho e a paciência que lhe era característica, sobretudo com a mana mais nova dezassete anos.

Quando o sol surgiu no horizonte desse dia de primavera já não restavam dúvida, como acontecia sempre que ele me explicava alguma coisa. Parece-me tão distante esse dia agora, como o dia em que te vi pela última vez. E durante este tempo tenho tido tantas dúvidas. Dúvidas sobre tantas coisas. E ninguém, ninguém consegue explicar-me o sentido das coisas como tu fazias.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: