Tag Archives: alimentos

Dieta sem lactose

18 Dec

lactose

O regime sem lactose assenta numa alimentação isenta deste açúcar presente no leite e seus derivados, ou na diminuição do seu consumo, “e  na toma de substitutos enzimáticos à venda em farmácias”, esclarece a dietista Rita Seno Valentim.

Normalmente é seguido por pessoas com intolerância à lactose, “cujo organismo não consegue produzir uma quantidade suficiente desta enzima responsável pela degradação e síntese da lactose durante a digestão”. Mas pode ser, e cada vez é mais uma opção alimentar à margem de qualquer intolerância.

Seja como for, segundo a dietista se o grau de intolerância “não for muito elevado, a pessoa pode consumir iogurtes em pequenas quantidades e alguns tipos de queijo”.

Explica que no regime, “o leite de vaca é substituído por derivados de soja, como a própria bebida de soja, os iogurtes, as margarinas e os queijos”, e que as bebidas de arroz e amêndoa também já são utilizadas em casos de intolerância à lactose.

“Mas não há nenhuma obrigatoriedade em substituir o leite e seus derivados por estes alimentos”, diz, podendo-se “simplesmente beber chás, café e sumo de fruta, e optar por fiambre de aves, mel e compotas”.

Nestes casos, a absorção de cálcio pode ser feita “através de vegetais de folha verde escura, castanhas, amêndoas e nozes, sésamo, milho, tofú e leguminosas como o feijão, por exemplo”.

Porém, resume, para que esta absorção seja feita corretamente pelo organismo, há que consumir alimentos com vitamina D (presente em alguns peixes como o salmão e as sardinhas, e em vegetais como os cogumelos, na gema de ovo e no fígado de vitela).

Advertisements

Cozinha criativa

29 Nov

alm sem gluten

Está presente em cereais como o trigo e a aveia, a cevada e o centeio. Vasta é a lista dos alimentos que contém glúten, portanto. Mas também podemos encontrar cada vez mais produtos sem esta proteína.

A dietista Rita Seno Valentim faz-nos uma lista de uns e de outros, deixando-nos ainda uma receita de bolo de laranja isento de glúten.

Alimentos com glúten

Massas, bolachas, pão, biscoitos, bolos, barras de cereais, pizzas, lasanhas, croquetes, pastéis; cerveja, chocolate em barra, café com mistura de cevada, maioneses e molhos comerciais.

Alimentos sem glúten

Arroz, farinha de arroz, milho, amido de milho, mandioca, farinha de mandioca, quinoa, batata, fécula de batata, feijão, grão, ervilhas, lentilhas, leite, iogurtes, queijo, carnes, peixes, mariscos, ovos, frutas vegetais, chocolate em pó, açúcar, compotas de frutas, mel, alimentos específicos à venda em supermercados e ervanárias (exemplo: massas, bolachas, pão…)

Bolo de laranja – receita sem glúten

Ingredientes:

• 3 Ovos inteiros

• ½ Copo de açúcar mascavado

• ¼ Copo de azeite

• 1 Copo de sumo de laranja natural

• 1 Copo de farinha de arroz

• 1 Colher de sopa de fermento em pó sem glúten

Preparação:

Untar a forma com um pouco de manteiga e polvilhar com farinha de arroz

• Misturar sem deixar de mexer todos os ingredientes pela seguinte ordem: açúcar, ovos, azeite, farinha, sumo de laranja, fermento

• Levar a mistura ao forno pré-aquecido a 180º C, durante 30 minutos aproximadamente

Sem glúten, por favor!

27 Nov

gluten free

Ao princípio era usada por portadores de doença celíaca (pessoas com elevado grau de intolerância ao glúten). Quase exclusivamente. Agora, a alimentação isenta de glúten ganha novos adeptos.

Resultados de estudos recentes podem explicar esta a adesão: “verificou-se que há muita gente com uma ligeira intolerância ao glúten, e que a diminuição do consumo contribui para uma perda de peso mais eficaz, nos casos em que há excesso”, diz a dietistas Rita Seno Valentim.

Explica que uma das características da intolerância “é a deficiente absorção de nutrientes por parte do intestino, levando a uma descompensação do organismo“. O que pode traduzir-se na “falta de algumas vitaminas e minerais essenciais à manutenção de um bom estado de saúde”.

Assim sendo, ao retirar-se o glúten da alimentação “o metabolismo volta a funcionar de forma eficaz promovendo a normal absorção de nutrientes e o correto funcionamento dos intestinos, evitando a retenção de líquidos e inchaço associado, e permitindo a descida da massa gorda e peso em excesso”.

A complexidade do glúten torna a digestão difícil e demorada podendo traduzir-se no mau funcionamento do intestino. Nestas alturas, o volume da zona abdominal aumenta causando desconforto físico e psíquico.

Por seu lado, “esta má digestão provoca uma deficiente absorção de nutrientes por parte do organismo provocando uma descida na imunidade, cansaço exagerado, enxaquecas, dores abdominais, faltas de memória e mau estar geral”.

A dieta sem glúten ajuda a recuperar energia e vitalidade, alivia dores das articulações, reduz as enxaquecas, dores de cabeça e a depressão, e diminui o inchaço da zona abdominal.

De acordo com a dietista, estes benefícios gerais não estão circunscritos aos portadores de doença celíaca. Ganha toda a gente que opta por uma dieta isenta desta proteína complexa que, “não sendo essencial para a manutenção do estado saudável do organismo”, pode ser perfeitamente “retirada da alimentação

Operação detox

2 Sep

liquidos 1 recortada

Por muito cuidado que se tenha com a alimentação em tempo de férias, sempre acabamos por cometer alguns excessos. Até porque não faltam tentações! Mas o que está feito está feito, nada de sentimentos de culpa. Agora pensemos nas soluções.

É aqui que entra o célebre programa detox que nos últimos anos anda na boca do mundo, mas que continua a ser um mistério para muita gente. Para revelá-lo, voltei a conversar com a nutricionista Magda Rocha

O que é o detox?

M.R: É um processo de limpeza do organismo. No fundo, é a eliminação de alimentos processados e a preferência por alimentos frescos e mais saudáveis. Pode também acrescentar-se alimentos mais diuréticos e/ou laxantes para uma maior eliminação de líquidos e toxinas acumuladas. Muitas vezes dá-se preferência a alimentos que estimulem determinados metabolismos no organismo, como o hepático, por exemplo, como forma de estimular a eliminação de toxinas.

A seleção dos alimentos é personalizada, portanto?

Sim, depende das características do individuo. Se este fizer muita retenção de líquidos, dar-se-á preferência a alimentos diuréticos; se tiver problemas de digestão, favorecemos alimentos que facilitem a mesma, por exemplo.

O objetivo não é perder peso, mas isso pode acontecer?

Sim, acontece muitas vezes, visto que são eliminados líquidos. E também porque se dá preferência a uma alimentação saudável.

Para além da ‘dieta’ alimentar, é estabelecida a toma de nutrientes complementares em forma de ampola?

Uma boa desintoxicação normalmente implica ambas, uma vez que a concentração de nutrientes nos alimentos é mais baixa do que aquela que conseguimos fornecer sob a forma de xarope, ampola ou comprimido.

Um programa prolonga-se por quanto tempo?

Não é possível generalizar o plano, mas se for um muito rigoroso deverá limitar-se a uns 3 dias, no máximo. Caso seja um plano mais flexível e variado, pode estender-se a um mês.

O que é possível continuar a beber?

Água e tisanas não adoçadas.

Férias sem engordar

5 Aug

cafe 1 cortada

Para a maioria o verão continua a ser sinónimo de férias, de preferência junto ao mar – ou, pelo menos, com muitas idas à praia. De tardes descontraídas numa esplanada a saborear uma bebida, e idas ao restaurante para degustar as iguarias da região.

É verdade que não seriam férias se estivéssemos sempre a contar as calorias, como diz a minha amiga Maria. Mas na verdade a probabilidade de ganhar alguns quilinhos a mais, entre bolas de berlim e mojitos, é muito grande.

E por isso, “seria muito bom se pudéssemos fazer alguma coisa para evitar engordar, sem ter que renunciar a todos os prazeres”, como ela própria observa. Fui conversar mais uma vez com a nutricionista Magda Rocha que esclarece o que fazer neste sentido:

A palavra-chave é moderação. Coma de tudo, mas sem exageros. Afinal de contas, está de férias.

 Quando come fora, no restaurante, deve evitar as entradas, uma vez que são normalmente bastante calóricas e servem para, sem se dar conta, adicionar calorias. Começar uma refeição com uma salada crua é sempre uma boa opção. Depois, evitar os fritos e reduzir os hidratos de carbono (massas, pão, etc.)

 ∙ Beba água. Com gás, sem gás ou com sabores, o que preferir mas sempre sem açúcar. A bebida de eleição no verão é por excelência a água. Excecionalmente pode beber sumos naturais ou batidos, que devem funcionar como refeição leve ou snack.

∙ Leve lanches para a praia, pois esta é uma boa estratégia para evitar a fome exagerada. Destas merendas devem fazer parte fruta fresca (é imprescindível), bolachas integrais sem açúcar adicionado, e iogurtes magros de aromas ou naturais (mas atenção à temperatura de conservação).

Dieta para um dia de boa diposição

29 Jul

ceia pronta

Depois de falarmos da relação entre o que comemos e o nosso humor, e dos alimentos que mais influenciam de forma positiva o nosso ânimo, e porquê, só faltava mesmo deixar uma sugestão prática para um dia a comer bem contribuindo para a boa disposição. O plano alimentar seguinte é da dietista Libânia Braga. Siga-o pelo menos uma vez por semana, e otimize o seu humor

Pequeno –almoço

  • 1 copo de leite magro
  • 2 fatias de pão integral
  • 1 fatia de fiambre de aves

Merenda da manhã

  • 2 nozes
  • 1 gelatina (0% açúcar)

Almoço

  • Salada de folhas verdes com tomate
  • 3 colheres (sopa) de arroz integral
  • Bife de frango grelhado

Lanche da tarde

  • 1 banana
  • 1 iogurte sólido magro
  • 3 colheres de sopa de cereais de aveia

Jantar

  • Brócolos salteados com azeite
  • Salmão assado

Ceia

  • Chá sem açúcar
  • 1 tosta integral
%d bloggers like this: