Tag Archives: arvores

Chuvinha irritante ao fim da tarde

6 Mar

As árvores e o céu, num dia de chuvinha irritante

E aqui vou eu lançada, preparadinha para falar sobre o tempo: dos cenários de sombra sobre Lisboa, da chuva e do sol que se vão alternando pela cidade. Continue reading

Advertisements

A caminho do fim de semana

24 Feb
?

A primavera nas árvores

?

Céu com muitas cores

Sexta-feira do meu contentamento! Continue reading

Bem-vindo setembro

1 Sep

?

?

Nos jardins do Museu do Traje

Nem de prepósito! Recebemos setembro nos jardins Continue reading

Os primeiros sinais de primavera

23 Feb

Quase primavera

Eu sei que a semana começou assim, com chuva miudinha e irritante. Fui surpreendia por ela ainda há pouco, na rua! Vejo-a agora em gotas muito esticadas à minha janela. Mas há qualquer coisa no ar que anuncia um outro tempo. Mais morno, cheio de vida. Hoje tenho menos frio, quase não tenho frio. Continue reading

À janela

24 Nov

paisagem de outono (à janela)

Gosto de janelas. Demorar-me nelas debruçada ou nariz no vidro, de acordo com a estação do ano, e se chove ou há sol, se faz frio. É um hábito que me acompanha desde sempre. Quando era criança pequena colocava um banquinho para olhar através dela, com sorte talvez a minha mãe me deixasse ir brincar para a rua. Depois cresci mais um pouco e voltava lá para sonhar: ‘quando crescer quero comprar todos os livros do mundo, quando crescer quero viajar, quando crescer quero ser’ [Acabo de perceber que não me tenho saído mal!] Agora estar na janela ajuda-me a pensar, a organizar o pensamento, a tomar decisões. E às vezes também não acontece nada disto, fico só a olhar a paisagem. Hoje foi um dia desses. Assim vai o outono hoje, a partir da minha janela.

Adeus agosto

31 Aug

Ceu em agosto

Aproveitar este céu lindo, muito azul, enquanto o tempo das nuvens não chega. Último dia de agosto, a vinte e dois dias do outono. Como eu gosto desta sensação de passagem, de fim e princípio. Acompanhar a mudança das paisagens, descobrir novas cores e novos cheiros para apetecer novos sabores. Lá fora tudo muda. Primeiro com gestos tímidos. Cá dentro também. E, de repente, numa hora qualquer vejo-me a abrir baús à procura de mantinhas quentinhas. Mas ainda não será hoje que o dia é quente e ainda é verão, e há uma promessa de que o calor vai prolongar-se. Com um pouco de ‘sorte’ ainda volto a ver praia. E muitos céus azuis como o de hoje,  sobre o pinhal.

A luz das acácias

19 Mar

acacia

amendoeiras

Contínuo sem tempo (para a próxima semana, espero abrandar um pouco o ritmo, e ter mais disponibilidade para passar por aqui). E hoje não é um dos meus melhores dias. Às vezes, o coração fica pequenino. Sabe-se lá porquê?!. Por isso, deixo-vos com as amendoeiras e as acácias. Da cidade. No meu percurso para o ginásio, sou ‘abençoada’ com estas árvores e arbustos que me ajudam a respirar. Trazem-me doces recordações. Lembram-me a minha infância E a minha mãe. Com quem eu costumava dar longos passeios pela ‘mata’, entre março e junho. A mãozinha de criança suavemente apertada na mão da mulher com olhos da cor do mar. No regresso a casa trazíamos ramos de acácias, e enchíamos jarras com elas. E então a luz parecia ainda mais amarela. E a primavera ficava mais quente. E eu sentia-me mais protegida.

%d bloggers like this: