Tag Archives: emotions

Procuro sentidos

25 Sep

noite com lua cheia

Ainda confusa com tudo à minha volta. As dificuldades de (re)adaptação. A tudo. A todos. Ao calor.  À aridez.  A mim aqui, que tem de ser diferente – e já é – de mim lá. No lugar onde fui feliz, mesmo nos dias em que o não fui!  Ainda confusa. Dividida entre vontades. O coração e a cabeça.

A dor maior já passou. Agora o pesar ondula como os montes no fio do horizonte, para lá do rio. Umas vezes, uma nova vida feliz parece possível. Outras vezes vai-se tudo, tudo é escuridão. E lá vou eu outra vez, vezes sem conta, a subir e a descer este carrossel de esperança/desesperança.

Tento criar-me. E criar a partir deste caos. Recuperar a criatividade perdida. Mas até ela deixou de responder à minha voz, às vezes! Outra, é verdade, quase damos as mãos. Mas ainda não chegámos lá. Ainda não recuperámos aquele intimismo antigo, de olho no olho, que dava vida às palavras.

E neste ondular vou procurando sentidos. O sentido da minha vida agora, neste lugar. E enquanto não o encontro, vou encontrando momentos de equilíbrio. Vou respirando e alcançando paz nos fins de tarde, nos crepúsculos magníficos, no céu cheio de estrelas e nas fases da lua. Ontem à noite, sobre o meu telhado, descobri Saturno em Sagitário. Horas antes, à saída do ginásio – na noite de princípio de outono que já tinha caído –, testemunhei o nascer da lua cheia, a lua fabulosa da fotografia.

Advertisements

Da falta de inspiração

16 Sep

limoeiro

Agora falta-me a inspiração! Vivemos apartadas há longos meses, apesar da dor. Foi-se dissolvendo nela, a inspiração na dor, num movimento contrário do natural – há quem se sinta mais inspirado em sofrimento, e eu já tive fases dessas.

Sentia-a fugir um dia atrás do outro, tudo começou há muitos meses. Ao princípio eram momentos espaçados no tempo, um subir e descer de montanha, lentamente nos dois sentidos. Depois foi vertigem. E deixei-me arrastar sem inspiração, da escrita à cozinha.

Com cálculos puramente matemáticos, tecendo os dias. Racionalizei tudo. Não fiz o que quer que fosse para impedir esse curso de objetividade. E numa daquelas voltas na vida que eu não quis, fiquei amputada de asas que criam castelos.

E agora falta-me a inspiração!

Falta-me a inspiração, mas estou noutro estágio (do luto): algures entre a negociação (concentro-me em eventuais ganhos?!) e a prostração (falta-me esperança e tenho medo), num lugar frio e ventoso, incerto e devorador, no entanto, ao mesmo tempo, cheio de possibilidades criativas.

Afinal, também há dias assim. Dias em que eu sou capaz de acreditar.

Dias do princípio de abril

7 Apr

Do Jardim da Luz à Quinta dos Inglesinhos

Às vezes sou um pouco ‘bichinho’? Prefiro acreditar que sou de luasContinue reading

Bom dia, sábado de março!

25 Mar

Bom dia sábado de março, o último de março! É mais um mês quase a chegar ao fim. Continue reading

Respirar. Uma vez e outra

14 Mar

Manhã para respirar devagar

Às vezes basta isto: respirar profundamente mas  devagar sentindo cada respiração no corpo que se transforma às entradas e saídas do ar sucessivas. Continue reading

Março em Mértola

13 Mar

Mértola mágica percorre agora os caminhos da primavera no canto dos pássaros e no cheiro das flores. Continue reading

Dias a preto e branco

5 Mar
?

Domingos a duas cores

Domingo adentro cheio de inverno. Na cor do dia: cinzento, apesar de uma ou outra tentativa tímida de sol. Continue reading

O regresso da chuva

3 Mar

dias-de-chuva

Não apetece! Já não me apetece estes dias tão molhados. Cinzentos. E frios. E tristes. Continue reading

Dias felizes (porque sim!)

27 Feb
?

Paisagem com ceu cinzento

Mais um dia cinzento! O sol ainda espreitou e brilhou mas não conseguiu impor-se às nuvens que, no fim, acabaram por ocupar o céu. Continue reading

Com os olhos (e a cabeça) nas nuvens!

25 Feb

nuvens-na-moldura

Tem potencial este sábado à tarde, com os olhos (e a cabeça) nas nuvens! Continue reading

%d bloggers like this: