Tag Archives: honey

Doce novembro

19 Nov
?

Requeijão com mais coisas boas

A celebrar esta dádiva de outono com sabor a verão à volta dos meus pequenos prazeres. Continue reading

Advertisements

Doce abacate!

7 Mar

mousse de abacate

mousse de abacate 1

Adoro abacate. Em pratos salgados e doces. Com queijo e aipo, em sopa fria, com canela e com mel, e com muitos outros deliciosos ingredientes, pois são vastas as suas potencialidades. Sou uma consumidora adita, não há volta a dar. Continue reading

Uma espécie de granizado de morango

3 Mar

sumo de morahngo

A primeira bebida natural refrescante do ano, à boleia de um delicioso shot de vitaminas. Inicialmente, a ideia era fazer um simples sumo. Mas com os morangos congelados, decidi criar uma espécie de granizado. Continue reading

Com um suave sabor a mel

19 Nov

Sabor a mel

aveia com mel

Acordei com fome, antes do despertador. Com uma vontade louca de comer ‘qualquer coisa doce’. Às vezes acontece-me! Muitas vezes, nos dias – e noites – de outono e inverno. De súbito, aquele desejo de comida calórica. Se calhar porque é raro fazê-lo!  A urgência dos  sabores aconchegantes, de uma papa acabada de sair do fogão ou de uma enorme caneca de chocolate preto quente, fumegante. Antes envolvo-a bem entre as mãos e aqueço os dedos. Só por um dia entre trinta, fico assim. Às vezes acontece-me! Às vezes sigo meio impulso, só um pouco mais de ‘açúcar’. Não chega a ser pecado! São dias de novembro a caminhar para o natal, frios lá fora, quentes na cozinha à volta destes pequenos-almoços coloridos, que entram também alma a dentro: os flocos de aveia cozidos com tâmaras em água, à procura de uma nota diferente. Para além dos cajus de sempre e da canela, hoje experimentei com banana e mel, um fio apenas. Um pouco mais de doce logo de manhã, a começar o dia.

Os pecados de sexta à noite

20 Jun

requeijão

Passo a semana entre pequenos-almoços cuidados, lanches e jantares nutritivos. Há alturas em que cometo os meus pecadilhos ente a terça e a quinta-feira – e então disciplino-me no dia seguinte. Mas, à sexta não resisto à gula! O meu corpo grita por calorias. Desmedidamente. Sobretudo por guloseimas. Atrevo-me a dizer mal o ‘galo canta’! Acordo sentindo-me capaz de todos os pecados. E, confesso, nem por um segundo penso reprimir este desejo de excessos. Bem pelo contrário. Fico a pensar no que vou oferecer-me ao jantar – quase sempre a hora destes banquetes. E, às vezes, porque a preguiça (outro pecado mortal) é quase tão grande como a gula, opto por misturas simples. Sobressas fáceis de criar em dois minutos, mas capazes de saciar esta vontade de doces. Hoje, escolhi requeijão de cabra. Reguei com mel alentejano e polvilhei com canela e sementes de chia.

O meu almoço às quatro da tarde

10 Jun

iogurte+abacate

abacate

Em dia de mudança de treino (não há músculo no meu corpo que não refila neste momento!), cheguei a casa cheiinha de fome. ‘Salto’ o almoço, sou incapaz de comer um prato de carne ou peixe às quatro da tarde, até mesmo uma sopa, e faço uma espécie de lanche, com coisinhas deliciosas. De um lado, uma mistura de iogurte de soja natural com banana, muesli bio, amêndoas torradas e goji. Do outro, metade de um abacate com mel caseiro do meu Alentejo e canela – os três produtos ligam na perfeição.

Acordei assim [saturday selection]

22 Mar

honey

Com uma fome imensa. Sem fim. Acordei assim. A pensar em texturas suaves e fortes – eu estou sempre nos extremos! Em sabores que provocam os sentidos. E guiada por eles, escolhi este pequeno-almoço. Anda tudo à volta do mel – escuro, com sabor a rosmaninho, que trago de casa (do Alentejo). Não gosto de outro. Desta vez é das Romeiras . Duas colheres de sobremesa bem cheia sobre uma mistura de iogurte natural de soja, banana partida grosseiramente, à mão, duas colheres de sopa de Muesli biológico. E nozes, muitas nozes. Hoje é tudo muito. Tudo grande! Acordei assim. Cheia de fome.

Lanches com sabor a mel

16 Feb

cake+lemon

Adoro bolos escuros. Com sabor a mel e canela. Também eram os preferidos lá de casa. Da minha mãe que os fazia para os lanches de domingo. E do meu pai que começava a pedir-lhe que os fizesse logo à quarta-feira. Hoje sou eu que os faço, os bolos de mel. Umas vezes seguindo a receita da minha mãe à letra, outras vezes dando-lhe um toque pessoal. Foi o que aconteceu este fim de semana – retirei alguns ingredientes à formula original e juntei-lhe outras. Eu fiz assim:

200 gr de açúcar 250 gr de farinha (eu peneiro )4 Ovos de tamanho médio 1 Colher de sobremesa de canela em pó ½ Chávena de azeite ½ Chávena de mel Raspa de uma laranja (adoro citrinos). Vai ao forno durante 45 minutos a 180ºC

Depois fiz um doce de limão para acompanhar. Nunca tinha experimentado no bolo de mel (normalmente uso-o nos bolos de manteiga e limão), mas resultou muito bem. As fatias de bolo ficam ainda mais perfumadas e com um suave sabor ácido que contrasta muito bem com o doce do mel. A receita é antiga e estava no caderninho das receitas que trouxe de casa, do Alentejo. É assim:

100 gr de Açúcar 1 Ovo inteiro 1 Limão (sumo e raspa) 50 gr de manteiga. Misturar o açúcar e o ovo mexendo muito bem. Juntar o sumo e raspa do limão, continuando a mexer. Levar ao lume e acrescentar a manteiga. Quando começar a ferver reduzir o lume e deixar cozer durante 5 minutos, mexendo de vez em quando.

%d bloggers like this: